Pular para o conteúdo principal

STRESS - Um inimigo que precisamos de combater.


“Já não sei para onde me hei-de virar!” Quantos de nós já não pensámos ou verbalizámos isto? De facto, a pessoa sente-se em stress quando considera que não consegue responder às exigências e solicitações que lhe são feitas, principalmente no trabalho. Nem sempre o stress é negativo. É necessário alguma dose de stress para nos fazer sair da cama de manhã e para nos lançarmos nos compromissos e actividades que vamos ter naquele dia. Contudo, quando ele é intenso, repetido e prolongado no tempo pode resultar em consequências preocupantes para o nosso bem-estar e saúde, podendo mesmo facilitar o surgimento de doenças cardiovasculares, diabetes, úlceras, obesidade e depressão. Assim sendo, é importante estarmos atentos aos sinais de stress para que possamos evitar danos na nossa saúde física e psicológica. Quais são esses sinais? Preocupações repetitivas que parecem ter-se instalado na nossa cabeça e dela não querer sair; dificuldade em tomar decisões, resolver problemas e concentrar numa tarefa, conversa ou actividade; insatisfação com o trabalho; sensação de esgotamento; diminuição do contacto com os outros; aumento do consumo de tabaco e/ou de bebidas alcoólicas; perda de confiança no próprio; irritabilidade e impaciência; dores de cabeça frequentes; diminuição ou aumento do apetite; dificuldades em adormecer; acordar várias vezes durante a noite ou mais cedo do que a hora habitual, e consequente fadiga derivada da falta de descanso. Perante estes sinais, torna-se urgente actuar. O segredo está em cuidar de si, investindo no seu “eu pessoal” ao invés de se centrar apenas no seu “eu profissional”. Para isso: 1) Conheça os seus limites, aceite-os e diga que “não” quando não se sente capaz de aceitar mais exigências ou solicitações; 2) “Mime-se” a si próprio e envolva-se em actividades que lhe dão prazer como ouvir música, dar um passeio, ver um filme; 3) Programe uns dias de pausa durante os quais se “desliga” por completo das actividades profissionais, para assim poder recuperar as energias; 4) Reserve sempre um tempo para estar com as pessoas que mais gosta (familiares, amigos) e com quem pode desabafar, contar os seus problemas e encontrar compreensão; 5) Pratique exercício físico, pois este além de ter um efeito calmante, confere-lhe uma sensação de bem-estar psicológico; 6) Por último, tente sempre não se esquecer do seu sentido de humor. Por mais exigências que a vida lhe traga, é sempre possível sorrir e dar uma boa gargalhada!
Texto: Ana Filipa Pires (Psicóloga Clínica).

Postagens mais visitadas deste blog

"Quem quer quentes e boas, quentinhas...."

O nosso magusto. Uma atividade intergeracional, uma tarde diferente para todos. Mais uma vez ressalvamos que as tradições devem ser mantidas, acolhendo as gerações futuras, obtendo o seu contributo e valorizando os costumes antigos reveladores da identidade sócio cultural de cada população ou grupo.
    A animar a festa, contámos com a boa vontade dos senhores, Joaquim Fontinha e Joaquim Sousa, que musicalmente alegraram os presentes. Um agradecimento especial a eles, por toda a disponibilidade em participar nas várias atividades de animação, ao longo do ano.







Grupo de cantares - Os nossos ensaios

* residentes erpi

Preparação da decoração de Natal

Já está em curso a preparação da decoração de Natal para as respostas sociais de centro de dia e lar. Os utentes\residentes estão empenhados nesta atividade. Postamos algumas fotografias que mostram bem a dedicação que os intervenientes têm aplicado.



















.